A odisséia de Maicon em busca do gato Esquilo

Just another WordPress site

Archive for the ‘gata’ tag

68 dias do desaparecimento do gato Esquilo em Brasília, burocracias atrasam o plano „gatoeira virtual“

with 27 comments


Donauwörth, 02.07.2011

Gatinho Esquilo, tigrado, rabinho cortado - procura-se!!!

CARACTERÍSTICAS DO GATO ESQUILO: macho, castrado, tigrado, coloração cinza (rajado cinza), olhos de tonalidade esverdeada, de rabinho cortado (cotó de 10 cm),  2 anos e meio de idade, arisco, gato criado em casa e alimentado na mamadeira quando bebê. Informações: ligue para (pode ligar a cobrar): (19) 81998486 (dono do gato em Campinas – Maicon), para 61-91564441 – Eliane ou para 81230133 GOL. Opcionalmente envie um E-mail para  maiconsaulfaria@gmail.com

 

CONTINUA O INFINDÁVEL DRAMA DE MAICON FARIA, SEM RESPALDO  DA CIA AÉREA GOL


Hoje completam 67 dias do incidente com o gato Esquilo, que por neglicência da empresa aérea GOL, escapou de sua caixa de transporte quando da escala em Brasília de um vôo Palmas (TO) – Campinas (SP), ocasião em que o Físico e pesquisador da UNICAMP Maicon Saul Faria retornava de suas férias com seu tão estimado gatinho para o aconchego de seu lar, em Campinas. Iniciou-se então um pesadelo sem fim na vida de Maicon – desde aquele fatídico dia, o tutor não para por procurar incansavelmente pelo seu gatinho Esquilo, que representa na sua vida muito mais que um simples „animal de estimação“ – é uma criatura que ele ama como se fosse um filho; um filho que ele acolheu das ruas, ainda bebezinho, responsabilizando-se pelo seu bem estar durante toda a vida.

O destino por vezes nos prega umas peças… a grande ironia é que Maicon optou por levar o gatinho Esquilo em sua viagem a Palmas, justamente por temer que o mesmo viesse a fugir de sua casa em Campinas, onde permaneceram os demais felinos adotados pelo Físico, entre os quais um irmãozinho de Esquilo, o gato Raposo. Por ser cauteloso e responsável com seu filhotinho felino, Maicon optou por confiar o seu bem mais precioso a uma companhia aérea que oferece o serviço de transporte de „animais“ (eu diria animais não-humanos) aos clientes. Para quem não sabe, este serviço, que a companhia rotula de „carga viva“, não é realizado gratuitamente: o cliente tem que desembolsar uma boa quantia pelo mesmo, além de atender a uma série de exigências burocráticas: vacinações, atestado de saúde do „animal“, tudo com prazos que precisam ser seguidos e normas que precisam ser atendidas. Maicon passou por todos os procedimentos, a fim de que seu tão amado filhote pudesse ser transportado pela cia.

 

NO BLOG DA GOL, PAIRA UM SILÊNCIO.

ACABARAM COM AS AFIRMAÇÕES REPETIDAS DE QUE „AS BUSCAS CONTINUAM E O CLIENTE TEM TODO O NOSSO APOIO“

 

 

Durante semanas e semanas, eu e várias pessoas postávamos no blog da GOL, perguntando sobre que atitudes eles estavam tomando no caso do gato Esquilo, e as respostas eram sempre as mesmas, repetidas, num tom robotizado e que talvez tenha chegado a iludir os incautos. „Sabemos como cada animal de estimação é importante para seu dono. Nesse momento, nossas maiores preocupações são dar toda assistência ao Maicon Farias e ajudá-lo a encontrar Esquilo, seu gato. Realizamos buscas incessantes, com apoio dos órgãos de fiscalização e espalhamos cartazes na região vizinha ao aeroporto para ajudar no reconhecimento do animal. Nossos procedimentos para o transporte de bichos passam, nesse momento, por revisões constantes para que sejam continuamente melhorados.“

Afirmações como estas eram repetidas incansavelmente, até que o próprio tutor do gato perdido, Maicon Faria, resolveu escrever no blog e comunicar a todos o que realmente se passava. Depois de uns dias sem publicação de nenhum comentário, o blog voltou a colocá-los no ar, mas já sem as frases enganosas que até então haviam postado.

 

O FÍSICO INVESTE EM ESTUDOS E ELABORA O PLANO DAS „GATOEIRAS VIRTUAIS“: CÂMARAS ESPECIAIS E ALIMENTADORES


FOTOS MERAMENTE ILUSTRATIVAS


Um tipo de câmara Moultrie fixada nuns canos (parecem bambuns).

Uma variante da "Moultrie camara" fixada nuns canos ?! (imagem retirada de um blog - "Digital Infrared Wildlife Cameras Help Recover Lost Cats").

Imagem de gato capturada com a câmara

Imagem de gato capturada com a câmara (imagem retirada de um blog)

Imagem de um gato capturada pela camara

Imagem de um gato capturada pela camara (outro tipo). Imagem retirada de um site (google/images).

Alimentador automático que libera ração em horários pré-programados.

Alimentador automático - modelo comprado por Maicon na cor azul (imagem retirada do site do fornecedor).

Tendo-se em vista a ampla área verde nas cercanias do aeroporto, e de que muitos gatos vivem por lá, existe uma probabilidade considerável de que o gatinho Esquilo esteja em algum lugar daquela área. Pensando nisto, e somente depois de muito pesquisar, Maicon tomou conhecimento da existência de câmaras específicas para a monitoração de animais na selva. Trata-se de um tipo especial de  CÂMARAS DE MONITORAMENTO, que normalmente são estrategicamente colocadas próximas a fontes de alimentação – os ALIMENTADORES AUTOMÁTICOS. É uma alternativa economicamente viável para as gatoeiras (aquelas gaiolinhas onde se coloca alimentos para atrair gatos e depois poder capturá-los), uma vez que viabilizam um meio de atrair animais perdidos e registrar a sua presença, sem que seja necessária a atuação de pessoal especializado para alocar e  controlar as gatoeiras, com identificação e liberação dos animais capturados, etc.

Este processo de monitoramento e captura, através de câmaras especiais,  é adotado nos Estados Unidos e países do chamado primeiro mundo, onde esta técnica é uma prática comum, tanto que nos USA existem serviços especializados de localização e „captura“ de animais domésticos perdidos. Encontrei vários sites especializados em buscas de animais domésticos desaparecidos, e como exemplo cito este blog (em inglês): PET DETECTIVE BLOG. A propósito, duas das imagens que publiquei foram retiradas deste blog.

Ou seja – estas mesmas câmaras que permitem observar animais selvagens em seu habitat, também possibilitam a localização de animais perdidos, aí incluindo-se os gatos, que primam por sua agilidade e capacidade de esconder-se nos locais mais inimagináveis!

PS: este termo „gatoeira virtual“ é de minha autoria – uso o termo no sentido de que o objetivo das câmaras é justamente suprir a presença física daquele que observa.

 

SEM  SUBSÍDIO DA GOL, MAICON ARCA COM AS DESPESAS DO EQUIPAMENTO, UM MONTANTE SUPERIOR A 3.000 REAIS.

E HAJA BUROCRACIA!

Maicon tem que enfrentar a burocracia da INFRAERO e da Polícia Federal

 

Desde que tomou conhecimento, através de leituras de artigos especializados, da existência das câmaras que permitem o rastreamento de animais, Maicon entusiasmou-se! Eu conversava com ele pelo twitter e acompanhei o seu entusiasmo, ao finalmente encontrar uma solução para as buscas de seu tão amado gato Esquilo! Seu ânimo era contagiante, e ele muitas vezes chegou a se perguntar „por que não tive esta idéia antes?“. No entanto, isto caberia, na realidade, à própria companhia aérea que oferece este serviço de transporte de animais, que eles grosseiramente chamam de „carga viva“. Se disponibilizam e cobram pelo serviço, é porque supostamente garantem que ele seja cumprido. Não foi o caso do cão Pimpoo, não foi o caso do gato Esquilo, não foi o caso do gatinho Toddy, e muitos outros animais que são perdidos por aí e cujas perdas nem sequer são registradas. Isto porque este controle não existe – se um animal é extraviado, isto nem sequer consta de algum tipo de registro, que possibilitaria ter algum  mínimo controle da situação.

E depois vem o Sr. Carlos Figueiredo, gerente de cargas da GOL, afirmar num programa da Record que „em dez anos de serviço a companhia perdeu somente 3 animais“… seria cômico se não fosse trágico. Logo após o sumiço do gato Esquilo, perdido em abril, já em junho tivemos conhecimento de mais uma gatinha, extraviada pela Gollog, e que que por um triz não foi perdida – a Donatela (leiam sobre o caso aqui (blog „O grito do bicho“).

E agora, esta espera. Maicon já comprou os equipamentos, e precisa aguardar esta lentidão e este descaso destas empresas para com o consumidor. E a GOL, nestas alturas? O que a Gol tem feito para facilitar as buscas de um animal que ela extraviou? NADA!!! É isto, simplesmente… NADA!!!

Maicon é uma pessoa de muita fibra e determinação, pois qualquer outro provavelmente já teria desistido. Como falou uma amiga, que também está envolvida nesta causa, Maicon deveria ser mostrado como um exemplo de guarda responsável (o termo „posse“ eu não costumo usar). Mas ninguém é de ferro… ele tem seus momentos de exasperação „as vezes bate um desespero para saber onde esse gato está, é tão desgastante falar com a infraero e com a PF !“.

 

MAICON NOS MOSTRA O SEU ESQUEMA DE AÇÃO – FINALMENTE APROVADO PELA INFRAERO E POLÍCIA FEDERAL

 

O pesquisador da UNICAMP teve que desembolsar no mínimo 3 mil Reais com os equipamentos – 4 câmaras (duas do tipo infravermelho e duas com flash), 2 alimentadores automáticos, sendo que ainda falta adquirir os bebedouros. Ele diz: „Tudo isso foi para contornar as dificuldades que o setor de meio ambiente da Infraero cria. Os alimentadores entregam uma pequena quantidade de ração, de forma discreta para não atrair aves“.

 

Abaixo o texto referente ao seu plano de ação, inalterado.

DESCRIÇÃO DO PLANO (por Maicon Saul Faria)


Apresentação do plano de monitoramento da presença do felino Esquilo na região remota do aeroporto JK , extraviado pela Empresa Aérea GOL, durante o voo nº, procedente de Palmas, no dia 05 de maio de 2011, conforme registrado no Boletim de Ocorrência número 21934/2011 DICOE.

 

Procedimento e Equipamentos: posicionar quatro câmeras com filmagem diurna e noturna acionadas por um detector de movimentos, essas câmeras são usadas normalmente por caçadores e para a observação da vida selvagem modelos Moultrie D-55ir, D50 e Tasco 5mp Trail Camera. Mais informações são encontradas no site do fabricante http://www.moultriefeeders.com/catalog.aspx?catid=gamecamera.

Elas serão apontadas restritamente a 2 comedouros que despejam pequena quantidade de ração animal (de 20g até 95g) 3 vezes ao dia e a 2 bebedouros.

As câmeras tem curto alcance e estarão somente direcionadas para os comedouros e bebedouros como descrito pelos círculos vermelhos no fotografia abaixo. As posições podem ser modificadas periodicamente com pedido antecipado para responsável pelo aeroporto.

Figura onde pode-se ver os pontos estratégicos onde serão colocadas as câmaras e comedouros.

Imagem de Maicon S. Faria - clique na mesma para ver uma ampliação minha (Rodrigues-Rath, Vera)

Objetivo: realizar uma busca eficiente de um animal que pode estar na região e assustado com o ambiente desconhecido. Esse monitoramento e necessário por a área ser uma região de mata e não ter circulação de pessoas.

 

Segurança: todas as fotos feitas ficarão disponíveis a Infraero, Polícia Federal e serão deletadas.

Sobre os Alimentadores: Alimentador da marca light pet (http://www.lightpets.com/lightpets.htm) pode fornecer de 20 até 95 gramas de ração sólida três vezes ao dia. Isso significa que a quantidade de ração será pequena e não propiciará condições para um frenesi alimentar de vários animais. O animal que encontrar o alimento rapidamente comerá aquela quantidade e se afastará do objeto. Os alimentadores serão colocado em locais fora do alcance visual das aves.
Além dos alimentadores planejamos incluir bebedouros que também ficarão fora do alcance de aves. A colocação dos equipamentos, ficará em áreas afastadas das pistas, não interferindo com o funcionamento das mesmas, conforme detalhado no mapa que encaminhamos anteriormente.

 

Texto acima „Descrição do plano“ de autoria de Maicon Saul Faria (Físico da UNICAMP).

 

 

Artigo publicado por Vera Rodrigues-Rath, jornalista, registro no Mtb. n. 13.912/SP. Reprodução somente com citação explícita da fonte, sem que o meu texto seja alterado.

 

 

Matéria atualizada às 03:22, do dia 04.07.2011 (fuso horário alemão).